EDIÇÃO - Ano IV

Três Choros pela Minha Morte

Ficção - Jaguaraçu - MG


Baseado em fato real. Pedro sofreu um acidente e morreu. A família e os amigos velaram-no e choraram por sua morte. Quase o enterraram. Mas Pedro estava mais vivo do que nunca. Hoje, ainda conta sua história.

Ficha Técnica
Roteiro e direção:
Iole Miranda Castro Duarte
Produção: Iole Miranda Castro Duarte, Maria Perpétua Marques Miranda, Lucimar de Jesus Pereira Duarte, Ana Maria Assis Torres, Rodrigues Lacerda Celestino, Gabriela Costa Silva
Imagens: Elizeu Mol e Cleverson Júlio Oliveira
Edição: Cristina Abrantes e Elizeu Mol
Som: Ítallo Gonçalves Oliveira e José Cosme Oliveira
Trilha sonora original: Rubim do Bandolim, Daniel Pedro de Lana e Iole M. Castro Duarte
Elenco: Francisco Boaventura Inácio, Terezinha Marta Galdino, José Riva de Andrade, Carmen Quintão Morais Souza, Maria Aparecida Morais Gonçalves, Elza Pereira Lana Coelho, José Luzia Souza, José Pereira Lana, Ademar Ferreira Belarmino dos Santos, Eri Vieira Duarte, Luís Vilela Gonzaga, João Victor Assis Gonzaga, Lays Gabrielle Silva Oliveira,Carlos Oliveira dos Santos, Daniel  Pedro Lana, Geraldo Luiz de  Almeida, Claudinei Silva, Carmelito Aniceto Rodrigues, Francisco Geraldo da Rocha,Letícia Assis Batista, Maria de Lourdes Reis Lima, Letícia Estevão Pereira Cruz, Ingrid Pereira Cruz, Lara Coelho Morais Quintão Coelho, Mercedes Maria e Henrique Pereira Duarte.

Conheça Jaguaraçu: Fundação: 1953 / Localização: Vale do Rio Doce, a 185 km de Belo Horizonte / 2.990 habitantes / 164 km2 / Gentílico: jaguaraçuense

História: Suas origens ligam-se à doação de terras feita pelo alferes Lizardo José da Fonseca Lana em cumprimento de uma promessa feita a São José. Com a abolição da escravatura, os libertos resolveram se instalar nas propriedades doadas. Ali se desenvolveu um pequeno arraial, tendo sua população erguido uma capela a São José. Em 1923, o povoado foi elevado a distrito com o nome de São José do Grama e, no ano de 1953, se transformou em município, com o nome de Jaguaraçu.
Origem do Nome: Jaguaraçu, na língua indígena, significa “Onça Grande”. A cidade começou a se formar nas margens do Ribeirão Onça Grande.

Festas: Em maio é realizada a tradicional Cavalgada de Jaguaraçu, evento de maior movimentação econômica do município que atrai milhares de turistas e reúne produtores rurais e fazendeiros da região em um animado concurso de marchas e apresentação de shows musicais. Outro destaque é o Encontro de Bandas.

Turismo: Possui belas cachoeiras e muitas áreas verdes, destacando-se a Área de Proteção Ambiental Jaguaraçu, uma área de quase 8.000 hectares que abriga espécies da Mata Atlântica.

Folclore e Cultura: O Encontro de Bandas e a Festa do Rosário, em julho, mantém viva a tradição do sincretismo religioso na fusão da cultura negra e a liturgia católica.

Padroeiro: São José

O Que Visitar: Cachoeira da Jacuba e Fazenda Paiol, local de produção de rapadura e onde se situa a Serra do Urubu, com cerca de 800 metros, de onde se tem uma visão belíssima de toda região.

O AUTOR

Iole Miranda Castro Duarte

Jaguaraçu - MG

Nasceu em 1951 Formada em Letras Aposentada

Voltar
 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube