EDIÇÃO - Ano IV

Sabes Quem Sou?

Documentário - Itapebi - BA


Narrativa poética do Rio Jequitinhonha, antes e depois da construção da BR 101 e da hidrelétrica. Antes, todo comércio fluía entre Minas Gerais e Belmonte, no extremo sul da Bahia. Canoeiros, lavadeiras, pescadores e população ribeirinha viviam em harmonia com o Rio. Hoje, com a degradação, foi alterada a principal fonte de renda da população, mudando também os costumes na região.

Ficha Técnica
Roteiro e direção:
Antonio Elias
Produção: Antonio Elias e Januario Ribeiro
Imagens: Roberto Dasmaceno
Edição e trilha sonora original: Roberto Damasceno e Antonio Elias
Som: Lecival Alves

Conheça Itapebi: Fundação: 1958 / Localização: sul da Bahia, a 348 km de Salvador / 10.495 habitantes / 1.005 km²/ Gentílico: itapebiense

Economia: A cidade é um importante produtor de mamão e maracujá e tem uma forte atividade agropecuária.

História: A origem do município de Itapebi está na Vila de Cachoeirinha, que ficava na margem direita do rio Jequitinhonha. A Vila foi um local de grande importância histórica, como primeiro ponto de recebimento das tropas e canoas que transportavam mercadorias e abasteciam o norte de Minas Gerais. Em 1911, fortes chuvas causaram deslizamentos em Cachoeirinha e várias famílias foram abrigadas em uma área doada pelo dono da fazenda Pedra Branca. A construção da BR 101, nos anos de 1971 a 1973, inseriu a região extremo sul da Bahia no mercado nacional.

Origem do Nome: Inicialmente a Vila Pedra Branca, quando foi elevada a distrito, recebeu o nome de Italva (pedra branca em tupi-guarani). Três anos depois, o nome mudou para Itamarati. No entanto, segundo dizem, as correspondências endereçadas ao Palácio Itamaraty, no Rio de Janeiro, eram entregues por engano no Distrito de Itamarati, o que levou à mudança do nome para Itapebi.

Festas: A maior festa da cidade é a festa de emancipação. Também merecem destaque as festas juninas e as festas no Parque de Exposições.

Folclore e Cultura: Uma das instituições culturais da cidade é a Sociedade Filarmônica 1º de Janeiro de Itapebi, formada por instrumentos de sopro e percussão, instituída em 1º de janeiro de 1934.  Hoje, a Filarmônica 1º de janeiro, como é chamada, tenta reerguer-se com o apoio da comunidade. Também existem a Batucada e o Bloco do Rasga Rasga, manifestações populares da cidade.

O Que Visitar: A cidade baixa, onde deságua o Rio Jequitinhonha, tem uma bela vista.

Patrimônio Histórico: Diversos casarões e residências antigas que datam da época da ocupação da vila que deu origem à cidade.

O AUTOR

Antonio Elias

Itapebi - BA

Nasceu em 1966 Ensino Médio Motorista, marceneiro e agente cultural

Voltar
 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube