EDIÇÃO - Ano V

Japurá, o Povo que Virou Açúcar

Documentário - Tabapuã - São Paulo


Japurá amarga há muitos anos a fama de vilarejo fantasma. A progressista vila de outrora deu lugar a extensas plantações de cana- -de-açúcar, restando apenas a antiga estação ferroviária, a cadeia velha, a capela e dispersas casas com seus poucos moradores, suas histórias e lembranças.
“Do hotel, lojas, bares e vida intensa, hoje só restam a história e vastos quinhões de cana plantados em seu redor que, metaforicamente, cada pé da planta representa cada um daqueles que um dia, heroicamente, ajudaram a construir Japurá. Podemos afirmar que viraram açúcar.”

 

Ficha Técnica

Roteiro e Direção: Geraldo Bellinelo

Assistente de Direção: Tulio Bellinelo

Produção: Geraldo Bellinelo, Elza Firmo, Heloisa Braz, Jonas Garcia, José Carlos Bellinelo, Nero Prado e Rogério Braz Gonçalves

Assistente de Produção: César Brugugnolli e Jesus Derenzi

Direção de Fotografia: Bia Marques

Assistente: Bruno Risas

Edição e Som Direto: Allan Ribeiro

Trilha Sonora Original: Dito Inácio

Elenco: Ana Idalina Braz da Silva (Dona Petita), José da Silva Lula, Luiz Alberto Lopes Flores, Olávio Delfino, Amanda Carlos, Ilson Rodrigues Castanheira, Marcel Nascimento, Victor Bellinelo, Eduardo Piloto Castanheira e Leonardo Alves da Cunha

 

Conheça Tabapuã: Fundação: 27 de novembro de 1919/ Localização: mesorregião de São José do Rio Preto, distante cerca de 420 km da capital / 11.363 habitantes / 345 km² / Gentílico: tabapuanense

História: Na segunda metade do século XIX, surgiu o povoado de Rancharia, entre os rios São Domingos e Turvo, às margens do córrego Limeira. Com a construção da estrada imperial do Taboado, que saía de Jaboticabal, passava nas proximidades do primitivo núcleo de Rancharia e se dirigia a São José do Rio Preto, o povoado deslocou-se para as margens da estrada. Foi elevado a distrito em 1907, tendo o nome alterado para Tabapuã.

Origem do nome: O nome Tabapuã é resultado da junção de duas palavras de origem tupi-guarani: taba, que significa casa, e pua (ou poan), reunião ou união.

O AUTOR

Geraldo Bellinelo

Tabapuã - São Paulo

Nasceu em 1958. Jornalista.

Diretor Municipal de Cultura.

Voltar
 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube