EDIÇÃO - Ano IV

Rota Dória

Rota Dória - Salesópolis - SP


Após a morte de seu idealizador, Padre Manoel de Faria Dória, a estrada que ligava o Litoral Norte a São José do Parahytinga foi fechada, mas tornou-se uma importante rota clandestina de escravos. Salesopólis era um entreposto comercial para distribuição da mão-de-obra nas fazendas. A presença dos africanos, porém, fez absorver muito de sua cultura: o modo de falar, a utilização de ervas, a culinária e as danças.

Ficha Técnica
Roteiro e direção:
Gilda Brasileiro de Moraes
Produção: Gilda Brasileiro de Moraes e Sergio Moraes
Imagens: Gustavo Brandão e Roberto Reis
Edição: Gustavo Brandão e Gilda Brasileiro de Moraes
Som: Rene Brasil
Still: Alexandre Silva
Trilha Sonora Original: Terreilo Ilê N?Zambi, Moçambique Raízes de Salesópolis e Caio de Souza Campos

Conheça Salesópolis: Fundação: 28 de fevereiro 1857/ Localização: região metropolitana de São Paulo, a 109 km da Capital / 15.635 habitantes / 424 km2 / Gentílico: salesopolense

Economia: O Ecoturismo e o turismo rural são importantes fontes de renda.

Origem do Nome: Salesópolis é uma palavra composta que quer dizer: Cidade de Sales. Foi uma homenagem ao Presidente da República, Dr. Manoel Ferraz de Campos Sales, quando da sua visita.

Festas: As festas mantêm as tradições dos séculos XIX e XX, trazidas por imigrantes, bem como pelos indígenas que habitavam as terras antes da chegada dos colonizadores. Em janeiro, acontece a Folia de Reis e a Festa de São Sebastião. Tem ainda o aniversário da cidade e a festa do Padroeiro, São José. Em junho acontece a Festa de São João com o famoso evento “Pisa na brasa”. A cidade também realiza o Festival Gastronômico do Cambuci e frutas nativas.

Feira da Quinta: Surgida no final do século XIX, quando a varíola assolou a cidade, a Feira da Quinta acontece até hoje. Os que resistiram à epidemia resolveram fazer uma promessa para o Espírito Santo de que toda primeira quinta feira de cada mês dedicariam a fazer leilões com seus produtos típicos e o dinheiro arrecadado seria utilizado para a Igreja em nome do Espírito Santo. Até hoje a feira é precedida por procissão, a missa, e conta com os leilões, as trocas e as vendas de produtos típicos.

Turismo: É conhecida nacionalmente como a cidade onde nasce o Rio Tietê, tendo, assim, grande parte do seu território preservado. A cidade abriga a Estação Biológica de Boraceia, administrada pelo Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. Esta estação é uma das duas únicas localidades onde ainda ocorre uma árvore da Mata Atlântica ameaçada de extinção, a Buchenavia rabelloana.

O Que Visitar: Parque das Nascentes do Tietê; Casarão Senzala; Usina Parque; Cachoeira da Porteira Preta; Cachoeira da Velha; Cachoeira do Tobogã; Parque do Pinheirinho; Mirante da Torre; Radar Meteorológico; Mercado Municipal.

Patrimônio Histórico: A Igreja Matriz, localizada na área central, é a arquitetura mais vultuosa, sendo avistada de qualquer ponto da cidade. O Casarão Senzala é uma construção de pau a pique que servia como ponto de parada para tropeiros e comerciantes.

O AUTOR

Gilda Brasileiro de Moraes

Salesópolis - SP

Nasceu em 1959 Formada em Química Professora

Voltar
 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube