EDIÇÃO - Ano V

Aboio, a Poesia do Vaqueiro

Documentário - Lajes - Rio Grande do Norte


Com ênfase no aboio, a cantoria típica dos vaqueiros, a história revela as nuances do cotidiano, lendas, relações sociais e o imaginário que norteiam as tradições dos chamados heróis do sertão.
“O componente musical ajuda a amenizar os sofrimentos deste valente do sertão na luta diária com os animais e a caatinga. Na lida com o gado, ele enfrenta sol e chuva, come e dorme onde dá. Mas no meio da rotina rude eis que eclode subitamente a veia poética. Como flores que nascem de espinhos, os poetas do sertão deixam fluir sua sensibilidade através dos versos de sua cantoria mais intimista: o aboio.”

 

Ficha Técnica

Roteiro e Direção: Tárcio Araujo

Produção: Washington Fernandes e Cícero Eleotério

Direção de Fotografia: João Batista Freitas e Edileusa Martins

Som Direto: Pedro Medeiros

Edição: Paulo André

Trilha Sonora Original: Zé Lima e Jonas, banda Forró dos 03

Elenco: Geraldo Raposa, Celso Raposa, Galego Raposa, Francisco Abreu, José Marcelino, Antonio Faustino, Othon Faustino, Cilia Leocádio, Francisco Martins, Laurita Raposa, Zé Lima, Tárcio Araujo

 

Conheça Lajes: Fundação: 25 de novembro de 1914/ Localização: Região central potiguar, a 125 km de Natal / 10.381 habitantes/ 676,623km² / Gentílico: lajense

História: Uma fazenda pertencente a Francisco Pedro de Gomes Melo foi o berço dos primeiros sinais de povoamento da região, por volta de 1825. A localidade de Lajes, por estar estrategicamente situada nos caminhos do sertão, tornou-se um importante ponto de encontro e descanso de boiadeiros e fazendeiros. Em 1914, a localidade passou a contar com a estrada de ferro Sampaio Correia, que deu um grande impulso para o desenvolvimento local. No mesmo ano o município de Lajes foi emancipado. Em 1943, o município passou a se chamar Itaretama, mas, 10 anos depois, em 1953, voltou a ter o nome original. Possui como cidades limítrofes: Jandaíra, Pedra Preta, Pedro Alvelino, São Tomé, Cerro Corá, Caiçara do Rio do Vento, Angicos e Fernando Pedroz.

Economia: A agropecuária é a principal atividade econômica de Lajes. Milho e feijão são os principais produtos agrícolas, e se destaca ainda na economia local a pecuária bovina, suína e caprina.

Artesanato: Os artesãos locais produzem esculturas em pedra sabão, em palha e fibras vegetais, como peneiras, cestos e vassouras, entre outros.

Pontos turísticos: Entre as principais atrações do município estão as belezas naturais, entre elas o Pico do Cabugi, e ainda tem como destaque turístico a Antiga Estação.

Padroeira: Nossa Senhora da Conceição

Festas: Entre os principais festejos de Lajes estão o carnaval, considerado o maior da região central do Rio Grande do Norte, a festa de São João dos Idosos, a Exposição da Região Central, a Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conceição, que acontece de 29 de novembro a 8 de dezembro, a Festa da Emancipação Política e o Festival da Comunidade.

O AUTOR

Tárcio Araujo

Lajes - Rio Grande do Norte

Nasceu em 1976. Jornalista.

Âncora de Radiojornalismo.

Voltar
 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube