EDIÇÃO - Ano IV

A Galinha ou Eu!

Ficção - Itambé - PR


Denizia, cinco anos, vive em uma fazenda repleta de animais e os trata como se fossem seres humanos. Um dia, fica com raiva de uma galinha e a persegue pelo quintal. O bicho entra na privada e cai no buraco. Então, Denizia tem que escolher entre salvar a galinha e levar uma surra ou deixar o animal morrer e escapar do castigo. Baseado em memórias da infância da diretora.

Ficha Técnica
Roteiro e direção: Denizia Moresqui
Produção: Denizia Moresqui e Luís Fernando C. Medeiros
Imagens: André Okimoto
Edição: Nathália Okimoto
Som: Roseli Ribeiro
Trilha sonora original: Leandro Ponciano
Elenco: Juliana Moresqui de Melo e Decol, Níbia Anajara Mantovani, Eder Aparecido Garcia, Aimée Janhaki Monteiro Chicrala, Vitor Emanuel G. Moresqui, Maria Eduarda Iori Santos, Maria Vitória Luchezi Moreski, Rodrigo Beltram de Oliveira, Leonardo Josué Vicente, Leanderson Gomes Antoneli e Antônia Maria Camilo

Conheça Itambé: Fundação: 25 de julho de 1961 / Localização: a 457 km de Curitiba, norte do Paraná / 5.977 habitantes / 243 km2 / Gentílico: itambeense

Economia: A cidade tem grandes safras de soja, trigo, milho e cana-de-açúcar. O setor de serviços também é bastante desenvolvido. Na indústria, a produção é de gêneros alimentícios, vestuário e calçados.

História: Itambé é fruto da obra colonizadora da Companhia de Terras Norte do Paraná, que adquiriu, inicialmente, junto ao governo do Paraná, 415.000 alqueires de terras férteis situadas entre o rio Paranapanema, Ivaí e Tibagi. Entre 1946 e 1947 chegaram os primeiros colonizadores e o traçado urbano do patrimônio surgiu paralelo a belas lavouras de café e cereais. O progresso da agricultura e dos demais segmentos motivou um movimento visando à emancipação político-administrativa.

Origem do Nome: Itambé é interpretado de diversas maneiras: de origem tupi, “i?ta”: pedra + “aim?bé”: afiada, pontiaguda. O historiador J.F. da Fonseca, em Viagem ao Redor do Brasil, define o termo como beiço de pedra; Xavier Fernandes interpreta como pedra oca; e Aurélio Buarque de Holanda classifica como despenhadeiro, precipício.

Festas: Festa da padroeira, Festa da Soja, e o Carnaval de rua, que atrai mais de 5 mil pessoas.

Culinária: O prato típico local é o Carneiro de Sol ao Fogo de Chão, que é preparado na festa de aniversário do município, em 25 de julho.

O Que Visitar: O Rio Ivaí, o saltinho do Rio Keller e o restaurante rural Porão do Peixe.

O AUTOR

Denizia Moresqui

Itambé - PR

Nasceu em 1973 Formada em letras Professora

Voltar
 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube