EDIÇÃO - Ano VI

Revelando os Brasis abre caravana de cinema em quilombo de Vargem Alta, no Espírito Santo

A tradição de contar histórias de geração em geração para transmitir conhecimentos e fortalecer laços familiares e comunitários é a inspiração para o filme “A Viagem de Seu Arlindo”, dirigido pela professora de Artes Sheila Altoé, moradora de Vargem Alta, no Espírito Santo. A obra é um dos 15 filmes que serão lançados durante o Circuito Nacional de Exibição do Revelando os Brasis Ano VI.

De 22 de agosto a 11 de outubro, a caravana de cinema percorrerá ruas e praças de doze estados para exibir em sessões abertas e gratuitas as ficções e documentários feitos por moradores de pequenas cidades com até 20 mil habitantes. Os filmes de curta-metragem foram produzidos pelo projeto a partir de histórias reais ou inventadas contadas e dirigidas por moradores das próprias comunidades. O Revelando os Brasis Ano VI tem patrocínio da Petrobras e realização do Instituto Marlin Azul.

Para marcar o lançamento, Vargem Alta receberá duas sessões: uma na Comunidade de Pedra Branca (22/08) e outra na sede do município (23/08), sempre às 19 horas. Os espectadores poderão ver na telona a obra feita com a participação da comunidade quilombola em diferentes etapas da realização audiovisual. A noite contará ainda com apresentação do Caxambu, dança afro-brasileira redescoberta pelos moradores durante as filmagens.

Como parte da programação, às 15 horas, no dia 22, o grupo de dança e os demais membros da comunidade se reunirão com o representante da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Espírito Santo – Zacimba Gaba, Arilson Ventura, que também lidera a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq). O encontro tem por objetivo estimular o fortalecimento das manifestações culturais na região, como o Caxambu, cujas apresentações já se estendem para outras partes do estado.

A história A Viagem de Seu Arlindo foi inspirada na história de um saudoso morador da região. Depois de viver anos numa localidade rural, Seu Arlindo deixa os moradores intrigados com o anúncio de uma misteriosa viagem. A ideia de fazer uma ficção sobre a história nasceu de relatos contados pelos moradores da Comunidade Quilombola de Pedra Branca. A professora Sheila Altoé e o contador de histórias Claudson Mendes estavam participando das atividades de formação de crianças contadoras de histórias, estimulando-as a conhecer suas raízes, costumes e tradições, quando surgiu a proposta de transformar o que ouviram em filme por meio do Revelando os Brasis.

“Através dos relatos contados pelas crianças, percebemos que havia uma riqueza de histórias com características peculiares dos moradores desde que foram morar na região. A história da fazenda, da árvore mal-assombrada, da ponte. Começamos a passar nas casas para conversar com os familiares das crianças. E as histórias batiam umas com as outras. Dona Marluce nos contou a história do pai, Seu Arlindo, com riqueza de detalhes. E decidimos relatar através do audiovisual”, conta a professora.

Durante as gravações, a comunidade foi estimulada não somente a valorizar suas histórias como a resgatar antigas manifestações culturais, que estavam sendo esquecidas, como a dança do Caxambu. Assim, a obra mistura ficção e documentário para marcar a integração entre as antigas e novas gerações, restabelecendo a ligação com os antepassados, numa região montanhosa conhecida tradicionalmente por abrigar famílias de descendentes europeus, mas onde também vivem várias comunidades descendentes de africanos.

A diretora– Com licenciatura em Artes e Pedagogia, especialização em Educação do Campo e em Educação das Relações Etnicorraciais, Sheila Altoé, nascida em Vargem Alta, atua como educadora em artes visuais na rede pública. O amor por aprender e compartilhar os aprendizados com outras pessoas a incentivou a trabalhar com mobilização e inclusão produtiva, tendo como tarefa motivar o produtor rural a estudar e a se aperfeiçoar. Seu compromisso social se estendeu para as aulas de artes junto às crianças, com enfoque na contextualização e na interdisciplinaridade.

A estrada – Adaptado para se transformar em cabine de projeção, o caminhão-cinema é equipado com uma tela de seis metros de altura, projetores, sistema de sonorização e 200 cadeiras para acomodar os espectadores. Ao longo de 51 dias, a caravana irá visitar as seguintes cidades: Vargem Alta e Laranja da Terra (ES), Urucuia e Barroso (MG), Lençóis e São José do Jacuípe (BA), Quebrangulo (AL), São Domingos do Cariri (PB), Icapuí (CE), Bom Jesus do Tocantins (PA), Arraias (TO), Nossa Senhora do Livramento (MT), Guarujá do Sul (SC), Antônio Prado (RS) e Águas de Lindóia (SP). Também receberão a mostra os municípios de Linhares (Vila de Regência) e São Mateus, no Espírito Santo.

Oito documentários, seis ficções e um filme que mistura os dois gêneros compõem a sexta edição do Revelando os Brasis. Além da obra produzida na cidade, cada sessão inclui a exibição de uma seleção de filmes feitos em outros municípios, totalizando uma programação de uma hora e meia de duração. Com direção, roteiro e produção dos moradores selecionados, a mostra traz um conjunto de histórias sobre memórias, lendas, personagens populares e tradições das pequenas cidades, destacando temas que registram a diversidade cultural brasileira e valorizam novas expressões e novos olhares sobre o Brasil.

 

 Conheça o Revelando os Brasis

Criado em 2004, o Revelando os Brasis tem por objetivo geral promover a inclusão e a formação audiovisuais através do estímulo à produção de filmes. O projeto promove processos de iniciação audiovisual, oferecendo aos moradores das pequenas cidades a possibilidade de contar as suas próprias histórias por meio de filmes que retratem o seu universo simbólico.

O Revelando os Brasis é desenvolvido nas etapas de formação, produção e difusão. Na primeira fase é realizado o Concurso Nacional de Histórias direcionado aos moradores de cidades com até 20 mil habitantes. A última edição bateu o recorde de inscrições: foram recebidas 951 histórias de todos os cantos do país. Dos 5.568 municípios brasileiros, 3.924 têm até 20 mil habitantes, de acordo com dados do IBGE (2010).

Na segunda fase, é realizada a Oficina de Realização Audiovisual, no Rio de Janeiro, quando os autores das histórias selecionadas aprendem, com a orientação de profissionais renomados do cinema, todas as etapas de realização de um filme, incluindo aulas de roteiro, produção, direção, som, fotografia, direção de arte, edição, comunicação e mobilização comunitária.

Na terceira fase, os autores retornam às suas cidades para a filmagem, com recursos e o acompanhamento técnico do projeto. Por meio de um processo de mobilização, familiares, vizinhos, amigos e artistas locais são estimulados a integrar as equipes, desempenhando funções artísticas, técnicas e de apoio. Após a gravação, os diretores seguem para a edição das obras.

A quarta fase é marcada pelo Circuito Nacional de Exibição. As obras são apresentadas em sessões abertas e gratuitas nas cidades selecionadas. Para completar o processo de difusão, todas os filmes, reunidos em um box de DVDs contendo ainda o making of do projeto, são distribuídos para bibliotecas, escolas públicas, universidades, pontos de culturas, instituições públicas e cineclubes ligados à educação e à cultura de todo o Brasil.

Os filmes são ainda exibidos em mostras e festivais nacionais e internacionais. Desde a criação do projeto, há quatorze anos, foram realizadas 195 obras audiovisuais dirigidas por moradores de pequenas cidades.

 

SERVIÇO

Revelando os Brasis Ano VI

Circuito Nacional de Exibição

Lançamento do filme A Viagem de Seu Arlindo

Data: 22 de agosto (quarta-feira)

Local: Comunidade Quilombola de Pedra Branca (em frente à quadra)

Horário: 19 horas

Data : 23 de agosto (quinta-feira)

Local: Praça Alberto do Carmo, na sede de Vargem Alta

Horário: 19 horas

 

A Viagem de Seu Arlindo

Direção, roteiro e produção: Sheila Altoé

Vargem Alta – ES

Nasceu em 1978. Ensino Superior. Professora de Artes.

Ficção: Na Comunidade Quilombola de Pedra Branca, nas montanhas capixabas, os mais velhos preservam a tradição de contar histórias para os mais jovens como a do dia em que o Seu Arlindo decide fazer uma misteriosa viagem, deixando intrigados os moradores da comunidade.

 

https://www.youtube.com/watch?v=HauTSrhiFz8

 

Imagens das gravações do curta “A Viagem de Seu Arlindo”.

Fotos: Gustavo Louzada

Galeria de Imagens

 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube