EDIÇÃO - Ano VI

Fortalecimento de laços no Quilombo Mata Cavalo, em Nossa Senhora do Livramento (MT)

O calor e o sol durante todo o dia anunciavam a chuva da noite. E as águas raras vindas do céu na região caíram para refrescar e abençoar a sessão de lançamento do documentário “Quilombo Mata Cavalo”, de Jurandir Amaral, neste sábado (29/09), na Comunidade Mutuca, Quilombo Mata Cavalo, no município de Nossa Senhora do Livramento (Mato Grosso). A programação marca a presença do Circuito Nacional de Exibição Revelando os Brasis VI no Centro-Oeste do país.

Antes da noite, a equipe de produção visitou as comunidades quilombolas para reforçar o convite para a sessão. A rádio comunitária entrevistou o diretor e chamou os moradores para a programação. Com a chegada da chuva horas antes da exibição, a equipe de montagem precisou deslocar a estrutura para a área coberta da Associação de Moradores de Mutuca. A mudança tornou a noite de cinema ainda mais aconchegante.

Um ônibus circulou pelo quilombo para facilitar o deslocamento das pessoas. Muitos vieram de carro de Livramento e de Cuiabá. O público se reconheceu na tela e pôde conferir diferenças e se identificar com semelhanças vividas em outros quilombos retratados em obras audiovisuais desta sexta edição do Revelando os Brasis.

O Quilombo Mata Cavalo é composto por seis comunidades: Mato Cavalo de Cima, Mato Cavalo de Baixo, Aguaçú, Capim Verde, Mutuca e Ponto da Estiva. As lideranças compareceram e elogiaram o documentário. Para a coordenadora do Revelando os Brasis, Beatriz Lindenberg, o filme representa um elemento agregador de grande importância. “Ali estão expostas as diferenças, mas especialmente o que as comunidades têm em comum. As práticas cotidianas, as afinidades, a cultura comum a todos”, destaca a coordenadora. Ao final, a expressão do público era de alegria, orgulho e entusiasmo.

“A sessão foi ótima! O lançamento foi muito bom! Tiveram várias pessoas da comunidade e do município envolvidas. Fiquei muito feliz! Desta vez, os próprios quilombolas, os próprios negros tiveram voz e vez pra poder contar a sua própria história. A gente fica feliz por fazer parte desta comunidade onde todo mundo estendeu as mãos para fazer uma coisa bem feita. Hoje podemos dizer que tem um documentário sério feito com bastante seriedade que vai poder amanhã ou depois servir como base para os nossos meninos mais novos, para nossas crianças. A gente espera que este projeto nunca acabe, que ele venha a se fortalecer, que ele possa levar esta mesma alegria que a gente teve para as outras comunidades pequenas que estão ainda esquecidas”, relata Jurandir Amaral.

Muito obrigada, Quilombo Mata Cavalo!  Grata Nossa Senhora do Livramento! Chegando ao quadragésimo dia de estrada, agora a caravana se despede do lindo e forte Mato Grosso para pegar o caminho em direção ao sul do país. A próxima sessão será em Guarujá do Sul, no estado de Santa Catarina.

Fotos: Ratão Diniz

 
  1. facebook
  2. instagram
  3. youtube