EDIÇÕES ANTERIORES - Ano V

Nova temporada do Programa “Revelando os Brasis” no Futura segue até janeiro

Até 17 de janeiro, o Canal Futura exibirá a nova temporada do “Revelando os Brasis”, série que traz 20 curtas-metragens escritos, produzidos e dirigidos por moradores de municípios brasileiros com até 20 mil habitantes. Nove professores, quatro jornalistas, dois produtores culturais, um ferroviário aposentado, uma estudante, uma pedreira, um sociólogo e uma vendedora foram selecionados por meio de um concurso, que recebeu mais de 900 inscrições. Naturais de 15 estados brasileiros – Espírito Santo, São Paulo, Paraíba, Ceará, Paraná, Bahia, Rio Grande do Sul, Pará, Minas Gerais, Tocantins, Rondônia, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Maranhão e Rio Grande do Norte – os vencedores participaram de oficinas para narrar suas histórias através da linguagem cinematográfica, transformando-as em documentários ou ficções.

Em cada episódio, com duração de 30 minutos cada, a apresentadora Lisia Palombini entrevista os idealizadores das obras. Antes da exibição dos curtas, os cineastas falam sobre os bastidores das gravações, o processo de produção, o imaginário de quem mora nas comunidades, entre outros assuntos. Além de valorizar o brasileiro e histórias que compõem a diversidade cultural do país, o programa tem por objetivos veicular para todo o território nacional uma produção audiovisual inteiramente produzida por moradores de pequenas cidades brasileiras e apresentar o universo cultural, os anseios e as percepções destas comunidades sobre suas realidades.

O programa Revelando os Brasis é uma parceria entre o Canal Futura e o Instituto Marlin Azul, que desenvolve o projeto de mesmo nome com o patrocínio da Petrobras.

 

REVELANDO OS BRASIS

Exibição: sextas-feiras, 21h30

Reprises: acompanhe o facebook do projeto para saber as datas e horários  das reprises

Duração: 30 min

Classificação: livre

 

CRONOGRAMA DE EXIBIÇÃO

 

02/09/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – A Mãe dos Vaga-Lumes

09/09/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Amor e Renúncia

16/09/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – As Benzedeiras do Azeitão

23/09/2016 (Sexta-feira) – 21:30-  As Lavadeiras: o Viver das Águas

30/09/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – O Trem Fantasma e a Viola de Cocho

07/10/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Quando Batem as Seis Horas

14/10/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Vida, Saudosas Lembranças…

21/10/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Os Sonâmbulos

28/10/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Afogados

04/11/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Recomendação das Almas

11/11/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Dona Ginu

18/11/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Vinillis Frutiferis

25/11/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Mulher Guerreira

02/12/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Aboio, a Poesia do Vaqueiro

09/12/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Simplesmente Lúcia

16/12/2016 9 (Sexta-feira) – 21:30 – Mistérios no Bairro Japão

23/12/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – Sobrou pra Nós

30/12/2016 (Sexta-feira) – 21:30 – A Troca

06/01/2017 (Sexta-feira) – 21:30 – Sonho Novo

13/01/2017 (Sexta-feira) – 21:30 – Japurá, o Povo que Virou Açúcar

 

PROJETO REVELANDO OS BRASIS

Criado em 2004, o Revelando os Brasis tem por objetivo geral promover a inclusão e a formação audiovisuais através do estímulo à produção de filmes. O projeto promove processos de iniciação audiovisual, oferecendo aos moradores das pequenas cidades a possibilidade de contar as suas próprias histórias por meio de filmes que retratem o seu universo simbólico.

O Revelando os Brasis é desenvolvido nas etapas de formação, produção e difusão. Na primeira fase é realizado o Concurso Nacional de Histórias direcionado aos moradores de cidades com até 20 mil habitantes. A quinta edição bateu o recorde de inscrições: foram recebidas 951 histórias de todos os cantos do país. Dos 5.568 municípios brasileiros; 3.924 têm até 20 mil habitantes, de acordo com dados do IBGE (2010). Setenta por cento das cidades do país são contempladas pelo projeto.

A Oficina de Formação Audiovisual, no Rio de Janeiro, é a segunda etapa. Nela, os 20 autores das histórias selecionadas, aprendem, com a orientação de profissionais renomados do cinema, todas as etapas de realização de um filme, incluindo roteiro, produção, direção, som, fotografia, direção de arte, edição, finalização, comunicação e mobilização comunitária.

Na terceira fase, os autores retornam às suas cidades para a filmagem, com recursos e o acompanhamento técnico do projeto. Por meio de um processo de mobilização, familiares, vizinhos, amigos e artistas locais são estimulados a integrar as equipes, desempenhando funções artísticas, técnicas e de apoio.

A quarta etapa é marcada pelo Circuito Nacional de Exibição. As obras são apresentadas em sessões abertas e gratuitas nas cidades selecionadas e nas capitais dos estados envolvidos. A maratona de exibição da quinta edição começou no dia 22 de outubro e prosseguiu até 03 de dezembro do ano passado, totalizando 34 sessões e reunindo, ao todo, 12 mil espectadores.

Para completar o processo de difusão, todas as obras, reunidas em um box de DVDs contendo ainda o making of do curso, são distribuídas para cinematecas, escolas públicas, universidades, pontos de culturas, cineclubes e órgãos públicos ligados à educação e à cultura de todo o Brasil.

Os filmes são ainda exibidos em mostras e festivais nacionais e internacionais. Desde a criação do projeto, há doze anos, foram realizadas 180 obras audiovisuais dirigidas por moradores de pequenas cidades.

 

SAIBA MAIS SOBRE OS CURTAS

 

A MÃE DOS VAGA-LUMES

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a professora de Artes Alcinéia Marcucci, de Corumbataí (SP), diretora do curta “A Mãe dos Vaga-Lumes”. O filme é inspirado em fatos reais e mostra o convívio de uma menina solitária e sua amiga imaginária. Com brincadeiras simples, causos e lendas, a história se move para o universo dos sonhos, buscando encontrar significados para os mistérios da vida.

 

AMOR E RENÚNICA

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a professora Benedita Benilda de Souza, diretora do curta “Amor e Renúncia”. Baseado em fatos reais, o filme conta a história de um romance proibido entre um padre e uma menina índia que aconteceu em meados do século XVII, dando início ao processo de formação da cidade de Aiuaba, no estado do Ceará.

 

AS BENZEDEIRAS DO AZEITÃO

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o sociólogo Reinaldo Moraes Guimarães, que dirigiu o curta “As Benzedeiras do Azeitão”. O documentário conta a história de mulheres e homens que, inspirados pela tradição e devoção, alimentados pela fé em Deus e com a intercessão dos santos, guardam um conhecimento passado de geração em geração, na pequena cidade de São Domingos do Azeitão, no Maranhão.

 

AS LAVADEIRAS: O VIVER DAS ÁGUAS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a professora Ana Beatriz Barbosa Ferreira, que dirigiu o curta “As Lavadeiras: o Viver das Águas”. O filme mostra a importância da água para a vida do município de Arroio do Sal, no Rio Grande do Sul. A lavagem das roupas dos moradores e veranistas tornou-se referência na memória coletiva da comunidade, transformando-se num patrimônio imaterial.

 

O TREM FANTASMA E A VIOLA DE COCHO

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o ferroviário aposentado Sebastião de Souza Brandão, que dirigiu o curta “O Trem Fantasma e a Viola de Cocho”. Ao som da viola de cocho, o documentário mostra o reencontro, as lembranças e a memória afetiva de ex-ferroviários que trabalharam na construção da linha férrea de Ladário, no Mato Grosso do Sul, e viveram muitas histórias fantásticas.

 

QUANDO BATEM AS SEIS HORAS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a jornalista Mikaely de Souza Batista, que dirigiu o curta “Quando Batem as Seis Horas”. O filme é uma mistura de drama e documentário e detalha a importância do rádio, em pleno século XXI, na vida de uma mulher solitária, que vive na zona rural de Aparecida, município da Paraíba.

 

VIDAS, SAUDOSAS LEMBRANÇAS…

A apresentadora Lisia Palombini conversa com produtor cultural Luciano Guimarães de Freitas, de Águia Branca (ES), diretor do curta “Vidas, Saudosas Lembranças…”. Em seu documentário, Luciano afirma que no infinito espaço entre o nascer e o morrer vive um traço particular de experiências e emoções. A morte traz a dor que, com o tempo, acaba por se abrandar, permitindo viver a saudade e as lembranças.

 

OS SONÂMBULOS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a professora Renata Loureiro da Silva, que dirigiu o curta “Os Sonâmbulos”. O filme conta a história de dois meninos que, no silêncio das noites amazônicas, quebraram a rotina, despertaram o sossego e protagonizaram um estranho caso de sonambulismo no munícipio de Santarém Novo, Pará.

 

AFOGADOS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a estudante Ana Paula Rocha, que dirigiu o curta “Afogados”. O documentário reúne relatos de moradores de Palmeiras, na Bahia, que relacionam a decadência do garimpo da região ao alto consumo de bebidas alcoólicas na comunidade.

 

RECOMENDAÇÃO DAS ALMAS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o professor José Sebastião Cocharski, que dirigiu o curta “Recomendação das Almas”. O documentário apresenta uma antiga tradição de Irineópolis, em Santa Catarina: um grupo de pessoas da zona rural sai à noite, durante a quaresma, visitando as famílias da comunidade, cantando uma oração, acompanhada por um instrumento rústico de madeira chamado “Matraca”.

 

DONA GINU

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o professor Fabiano Silva Ferreira, que dirigiu o curta “Dona Ginu”. O documentário é sobre uma contadora de histórias, considerada “patrimônio histórico-cultural” de Uruburetama, no Ceará.  Dona Ginu é uma senhora que reconhece suas origens e irradia alegria.

 

VINILLIS FRUTIFERIS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o jornalista Victorhugo Passabon Amorim, que dirigiu o curta “Vinillis Frutiferis”, no município de Vargem Alta (ES). O filme conta a história de um jornalista que vai ao interior do Espírito Santo conhecer a Vinillis Frutiferis: uma árvore cujos frutos são discos de vinil e que precisa que os beija-flores, com seus bicos, toquem a música. Num jogo entre a realidade e a fantasia, a obra revela as histórias e as relações dos moradores que preservam essa espécie até hoje.

 

MULHER GUERREIRA

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a pedreira Carlúcia de Melo Soares, que dirigiu o curta “Mulher Guerreira”. O filme conta a história da diretora, uma descendente quilombola que não desistiu diante das dificuldades, estudando, aprendendo a profissão de pedreira e conquistando sonhos no município de Arraias, no Tocantins.

 

ABOIO, A POESIA DO VAQUEIRO

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o jornalista Tárcio Araújo, morador de Lajes (RN),  diretor do curta “Aboio, a Poesia do Vaqueiro”. Com ênfase no aboio, a cantoria típica dos vaqueiros, a história do documentário revela as nuances do cotidiano, lendas, relações sociais e o imaginário que norteiam as tradições dos chamados heróis do sertão.

 

SIMPLESMENTE LÚCIA

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a professora Luzia de Queiroz Cassiano, que dirigiu o curta “Simplesmente Lúcia”. O filme conta a história de uma mulher de 80 anos que tem na memória poemas e cantigas que são para ela pedaços de vidas vividas: tristes, alegres, patrióticos e críticos de amor. Lúcia brinca com as palavras e sentimentos do cotidiano no município de Douradina, no Paraná.

 

MISTÉRIOS NO BAIRRO JAPÃO

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o professor Pedro Dias Teixeira, que dirigiu o curta “Mistérios no Bairro Japão”. O filme conta a história de Dona Antônia, uma senhora que leva seus netos para visitar a fazenda onde nasceu, e conta as histórias fantásticas acontecidas com sua família, envolvendo seu pai, o senhor Pedro Maria, um curandeiro conhecido na região de Brazópolis, Minas Gerais.

 

SOBROU PRA NÓS

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o produtor cultural de Meruoca (CE), Augusto César dos Santos, que dirigiu o curta “Sobrou pra Nós”. O filme conta a história de Nildo e Vivi, um casal feliz. Eles saíam para comer fora aos domingos, viajavam uma vez ou outra e levavam a vida com satisfação, até que surge um homem elegante e convincente na casa do casal.

 

A TROCA

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a vendedora Joelma Silva Ferreira, que dirigiu o curta “A Troca”. O filme é baseado em fatos reais e conta a história da passagem de uma tribo indígena pelo acampamento de seringueiros no município de Candeias do Jamari, Rondônia. Na ocasião, crianças do município fazem uma troca surpreendente.

 

SONHO NOVO

A apresentadora Lisia Palombini conversa com a professora Sandra Oliveira Buriti, que dirigiu o curta “Sonho Novo”, na pequena cidade de Barra de Santa Rosa (PB). O filme conta a história do jovem Romário que vive na região do Curimataú paraibano e sonha em ser universitário, mas a seca o obriga a procurar emprego em outro estado. O inesperado acontece quando a pequena Natinha dorme: seus sonhos mudam completamente a viagem dos dois.

 

JAPURÁ, O POVO QUE VIROU AÇÚCAR

A apresentadora Lisia Palombini conversa com o jornalista de Tabapuã (SP), Geraldo Bellinelo, que dirigiu o curta “Japurá, o Povo que Virou Açúcar”. O documentário conta a história de Japurá, que amarga há muitos anos a fama de vilarejo fantasma. A progressista vila de outrora deu lugar a extensas plantações de cana-de-açúcar, restando apenas a antiga estação ferroviária, a cadeia velha, a capela e dispersas casas com seus poucos moradores, suas histórias e lembranças.

 

 
  1. facebook
  2. instagram
  3. vimeo
  4. youtube